Psicologia das Cores

As cores exercem influência psicológica no ser humano de tal maneira que se são assimiladas mais rapidamente pelo cérebro do que a própria forma de um objeto. Ao ler a palavra AZUL, a impressão do vermelho é muito mais ativa que o próprio nome da cor azul. Por isso mesmo é de vital importância para quem atua na área visual entender como reagimos às impressões cromáticas, para, assim, controlar o fenômeno a nosso favor, abrindo um leque de possibilidades comunicativas.

Embora o significado das cores seja de caráter essencialmente cultural – uma mesma cor pode representar emoções diferentes e até mesmo opostas, dependendo da cultura – algumas generalizações foram percebidas e estudadas, criando relações que, embora aparentemente contraditórias, ajudam a traçar o perfil emocional de casa cor. Aqui estão algumas delas:

 

VERMELHO

 

Henri Matisse – Harmonia em vermelho

 

É a cor que possui a maior quantidade de efeitos psicológicos, devido a sua rara ocorrência na natureza. Estimula os sentidos, atenuando a melancolia e a inércia. Afeta a pressão sanguínea e incita a sensação de fome. Quando bem utilizada passa a idéia de sofisticação e riqueza. Tonalidade intensa que rapidamente cansa os olhos, por isso sua aplicação deve ser muito bem calculada

Associações: Ação, amor, atividade, bravura, calor, desejo, dinamismo, emoção, energia, excitação, extroversão, fogo, força, guerra, impacto, ira, lábios, martírio, motivação, movimento, mulher, pecado, perigo, potência, revolta, sangue, sensualidade, sexo, sol, timidez, vergonha, vida, violência, vitalidade, vontade, vulgaridade.

 

AMARELO

 

Paul Gauguin – Cristo amarelo

 

Desenvolta e esportiva, porém imprecisa, podendo causar desvio de atenção. Embora não seja uma cor motivadora por essência, está sempre ligada à alegria, ao sol e todo o tipo de referência ao brilho e à luminosidade. Geralmente usada em contraste com o preto ou alguma cor mais sóbria com fins de destaque. É a cor mais intensa de todas, por isso, associada à riqueza e nobreza.
As variações do amarelo, principalmente o esverdeado, podem provocar efeitos negativos, como sensação de inveja e má fé, ou doença, como a icterícia e a hepatite. Também associado à covardia

Associações: Adolescência, alerta, ciúme, conforto, egoísmo, esperança, espontaneidade, flores grandes, gozo, iluminação, inveja, lógica, ódio, orgulho, originalidade, razão, sabedoria, sol, verão, versatilidade, vivacidade.

 

LARANJA

Pablo Picasso – Três mulheres

 

É a cor que mais está presente na natureza. Representa imaginação, aventura e jovialidade, por isso, quando usado em excesso pode provocar a impressão de ausência de seriedade. Construtiva, porém expansiva. Por ser uma mistura do amarelo e do vermelho, representa moderação, sendo mais equilibrada que as duas.

Associações: Aurora, energia, euforia, festa, outono, pôr do sol, prazer, senso de humor, tentação.

 

VERDE

 

Claude Monet – Lago com Nenúfares

 

Associada diretamente com a natureza pela sua predominância durante a primavera, por isso muito usada em produtos que indicam naturalidade, como azeites, frutas, verduras e legumes, porém pouco agradável para alimentos em geral. Transmite sensação de frescor, liberdade e limpeza. Símbolo da esperança.

Associações: Abundância, águas claras, bem-estar, bosque, ciúme, coragem, crença, desejo, dinheiro, equilíbrio, esmeralda, firmeza, frescor, imortalidade, liberdade, limpeza, natureza, perseverança, primavera, ressurreição, Santa Trindade, saúde, tapete de jogos, tranqüilidade, umidade.

 

AZUL

Marc Chagall – O artista e sua esposa

 

Cor estável e sóbria, denotando requinte e confiabilidade. É uma das tonalidades mais frias de todas e a sua mescla com o verde produz os matizes mais gelados. Possui grande poder de atração e estabiliza as inquietações. Raramente prende o olhar e, dependendo da aplicação, pode ser entendida como apática.

Associações: Afeto, águas tranqüilas, amizade, amor, céu, confiança, divindade, espaço, fidelidade, frio, gelo, infinito, intelectualidade, inteligência, limpeza, mar, masculinidade, meditação, organização, precaução, profundo, pureza, sabedoria, sentimento, serenidade, simplicidade, verdade, viagem, virgindade

 

ROSA

Berthe Morisot – O vestido rosa

 

A mais feminina e romântica de todas as cores. Possui pouca vitalidade e muita delicadeza.

Associações: Dança, doces, flores, fraqueza, graciosidade, homossexualismo, infância, inocência, lingerie, mulher, namoro, perfume, saúde, suavidade, vagina, verdade.

 

ROXO

Egon Schiele – Autorretrato

Austero e fúnebre, porém altamente elegante. Evoca enigma, magia, religião e luxúria. Usado comumente em artigos religiosos, acessórios funerários e produtos finos. O uso excessivo desta cor pode trazer demasiada introspecção, causando impressão de algo ruim.

Associações: Caixão, calma, delicadeza, dignidade, egoísmo, espiritualidade, fantasia, feminilidade, floral, gentileza, grandeza, gratidão, hematoma, igreja, justiça, mistério, misticismo, noite, profundo, sonho, tranqüilidade.

 

MARROM

 

Rembrandt van Rijn – Autorretrato

 

É a cor do retrô, evoca o rústico, o passado. Pode trazer sensação acolhedora e intimista ou de extremo desconforto, por isso há de ser usado com muita cautela. Ligada à terra e tudo que vem dela.

Associações: Conforto, família, fezes, lama, lar, lareira, madeira, melancolia, outono, receptividade, resistência, rodeio, terra, vigor.

 

CINZA

 

Pierre Reymond – A crucificação

 

Neutro e diplomático, é utilizado para passar confiabilidade, estabilidade, cautela e discrição. Não implica uma posição definida, simbolizando o equilíbrio de forças antagônicas (preto e branco). Tende a ser uma cor depressiva, levando à extrema introspecção. Se mal utilizado pode passar impressão de falta de confiança.

Associações: Antiguidade, chuva, cidade, cimento, decadência, elegância, inverno, máquinas, neblina, neutralidade, passado, pó, refinamento, sabedoria, seriedade, tédio, tristeza, velhice.

 

BRANCO

Kazimi Malevich – Branco sobre branco

 

Imaculada por qualquer cor, por isso representa pureza, calma, paz, limpeza e tranqüilidade. Propõe leveza, requinte e minimalismo em sua aplicação. Transmite uma acentuada percepção de espaço. Pode afetar negativamente as cores quentes por torná-las extremamente vivas. Para os ocidentais simboliza a vida e para os orientais a morte.

Associações: Ausência, bem, casamento, castidade, cisne, frio, gelo, harmonia, leite, limpeza, neve, ordem, paz, pureza, simplicidade.

 

PRETO

 

Caravaggio – Davi com a cabeça de Golias

 

Características: Nêmese do branco, por isso seus significados são diretamente opostos. Sugere seriedade, absolutismo, decisão, elegância, sofisticação, minimalismo.

Associações: Angústia, crime, desgraça, dor, enterro, extinção, fim, frigidez, mal, maldade, miséria, morte, noite, opressividade, prudência, seriedade, sobriedade, sombra, sordidez, sujeira, tristeza.

 

***

Publicado originalmente no portal “Fotografar, Vender, Viajar”, em 12/01/2010

Deixe um comentário